Associação Humanitária de

Bombeiros Voluntários Madeirenses

 

Procurar:

OS QUE AVANÇAM...

QUANDO TODOS FOGEM.

 

  HOME

ASSOCIAÇÃO

INFORMAÇÃO

CONSELHOS ÚTEIS

CONTACTOS ÚTEIS

 
 

A Cidade do Funchal

 

 

Identificação de Riscos do Concelho do Funchal

 (clique sobre o ícone)

 

Plano Operacional das Operações de Socorro

 (clique sobre o ícone)

 

 

Historia

Nos finais deste século XV e com a vigência à frente da Ordem de Cristo de D. Manuel, duque de Beja, incentiva ele próprio o planeamento e a estruturação da progressiva e próspera vila, mandando levantar os Paços do Concelho e dos Tabeliães, aptos a funcionar em 1491, enviando o pelourinho da vila, então denominado por "picota" (1486), mandando levantar uma igreja nova, começada em 1493 e depois elevada à categoria de Sé Catedral, em 1514 e quase ao mesmo tempo, mandando levantar um hospital e a nova alfândega do Funchal.

Com o início do século XVI, em 1508, o Funchal é elevado à categoria de cidade e, poucos anos depois, em 1514, é elevado a sede de bispado, mais tarde e após a criação das dioceses de Angra, Cabo Verde, S. Tomé e Goa, ainda a arcebispado, tendo como sufragâneas aquelas novas dioceses.

A cidade desenvolve-se então por uma longa rua ribeirinha, que ao longo do seu percurso e história vai conhecendo vários nomes, como Santa Maria, dos Caixeiros, Alfândega e dos Mercadores, da qual nascem perpendiculares, bordeando as três ribeiras que atravessam o largo vale e se dirigem para as serras. A primeira e principal foi a Rua Direita, nascendo na foz das Ribeiras de João Gomes e de Santa Luzia e depois o caminho que vai para o Palheiro, o caminho que vai para o Monte, o caminho que vai para Santa Luzia, o caminho e Calçada de Santa Clara e assim sucessivamente. Paralelamente à rua principal ribeirinha irão surgir outras, como ao longo do calhau, a Rua da Praia, e entre as Ribeiras de Santa Luzia e de São João, a Rua da Carreira, "pelos cavalos que costumam correr nela", como refere o cronista Gaspar Frutuoso e que se repetirá em Câmara de Lobos, em Angra, nos Açores, em Mazagão, no Norte de África e em várias povoações do Brasil.

Património arquitectónico

Como património arquitectónico destacam-se: a Igreja e Mosteiro de Santa Clara, do século XV, o Fortaleza-Palácio São Lourenço, do século XVI, a Sé Catedral, do século XVI. destacam-se outros edifícios como, o paço episcopal, o palácio do governo regional, a Câmara Municipal do Funchal, o Teatro Municipal Baltazar Dias, os museus das Cruzes, Municipal e de Arte Sacra.

Economia

O sector terciário (nas áreas de comércio, restauração e serviços de hotelaria) predominam como actividades dominantes. No entanto também no sector secundário, (a construção civil, lacticínios, floricultura e artesanato), obtém alguma representatividade. No sector primário, o vinho, a banana, as flores ornamentais e frutos tropicais predominam como produtos de cultivo.

O porto do Funchal assume-se como um dos principais portos do mundo. O Final de Ano, o Carnaval, a Festa das Flores e a Festa da Vindima assumem-se como principais actividades turísticas.

Geografia

O Arquipélago da Madeira situa-se no Oceano Atlântico entre 30º e 33º de latitude norte, a 978 Km a sudoeste de Lisboa e a cerca de 500 Km da costa africana, quase à mesma latitude de Casablanca, relativamente perto do estreito de Gibraltar. De origem vulcânica, é formado por:

  • Ilha da Madeira (740,7 Km2);

  • Porto Santo (42,5 Km2)

  • Ilhas Desertas (14,2 Km2) - 3 ilhas desabitadas

  • Ilhas selvagens (3,6 Km2) - 3 ilhas e 16 ilhéus desabitados.

A actividade vulcânica submarina que formou as ilhas do arquipélago da Madeira, actualmente adormecida, criou-lhe um relevo único e peculiar. Em milhões de anos, estas ilhas do Atlântico Norte contaram com agentes da natureza que as modificaram até à actualidade. De entre esses agentes, a acção da água das chuvas e do mar, foram preponderantes no moldar do relevo das ilhas.

As águas apertadas entre tornos e arribas, ressaíram-se do nível dos leitos, tombaram em quedas e escavaram caldeirões profundos. No seu percurso, conforme os tributos de confluência das correntes, foram removendo e depondo carga de sedimentos, que ao serem barradas, por obstáculos naturais ou não, formaram terras chãs, assorearam as praias de calhaus ou de areia.

O Funchal é uma cidade da Ilha da Madeira, capital da região Autónoma da madeira, sendo a nona mais populosa cidade de Portugal.

A cidade coincide com o seu concelho e tem 76,25 Km2 de área e 98 583 habitantes (2008). O município é limitado a norte pelo município de Santana, a nordeste pelo município de Machico, a leste por Santa Cruz e a oeste por Câmara de Lobos, sendo banhado pelo Oceano Atlântico a sul.

O Funchal é atravessado por três ribeiras de grande declive e regime torrencial, a Ribeira de São João, a Ribeira de Santa Luzia e a Ribeira de João Gomes.

O Funchal apresenta um clima com temperaturas médias diárias entre 16ºC e 22ºC, ao longo de todo o ano.

                                                                                                                                                                              Bibliografia: Regimento de Guarnição Nº3 (2010) Madeira, 20Fev10: A Dimensão. Grafimadeira. Funchal

                                                                                                                                                                                                 Site da Câmara Municipal do Funchal (Consultado em Janeiro de 2011)

                                                                                                                                                                                 

 

 

 

 

Todos os direitos reservados Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Madeirenses ® 2011
Todas as imagens reproduzidas no site, são propriedade da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Madeirenses